Logon
  • Aumentar a fonte
  • Diminuir a fonte
  • Enviar por E-mail
  • Imprimir

ANGLOGOLD ASHANTI É A ÚNICA EMPRESA DO SETOR DE PRODUÇÃO MINERAL A POSSUIR CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NA NORMA ABNT NBR 16001

Empresa se destaca pelo comprometimento da equipe, transparência nas informações e evolução nos processos.

[22/05/2017]

A AngloGold Ashanti é uma das poucas empresas do país – e a primeira e única do setor de produção mineral – a possuir a chancela do Inmetro para a norma ABNT NBR 16.001, que tem o objetivo de estabelecer diretrizes para ajudar organizações, de diferentes portes, origens e localidades, a implantar e desenvolver políticas de Responsabilidade Social.

A empresa acaba de passar por um processo de auditoria externa, conduzida pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini, que recomendou pela manutenção da certificação não somente na ABNT NBR 16001, mas dos Sistemas de Gestão nas normas OHSAS 18001 (Saúde e Segurança) e ISO 14001 (Meio Ambiente). Vale destacar que a AngloGold Ashanti possui, desde 2004, a certificação ISO 14001; desde 2007 a OHSAS 18001; e, desde, 2009 a ABNT NBR 16001.

A AngloGold Ashanti se destaca, segundo os auditores, pelo comprometimento de todo o time, a transparência nas informações e a evolução nos processos. "Esta foi a primeira vez que estruturamos um formato de auditoria externa simultâneo nos sistemas de Gestão de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Responsabilidade Social. O resultado foi um processo otimizado e com mais sinergia, reforçando o nosso compromisso pela melhoria contínua", comentou o responsável pela Coordenação de Sistemas de Gestão, Elvio Baumgratz.

Sobre a AngloGold Ashanti

Uma das maiores produtoras de ouro do mundo, no Brasil a empresa possui minas e plantas metalúrgicas e de beneficiamento distribuídas nos estados de Minas Gerais e Goiás. Seus negócios englobam 17 operações em 9 países, gerando mais de 60 mil empregos. A AngloGold Ashanti tem sede em Johanesburgo, na África do Sul, e suas ações são negociadas nas bolsas de Johanesburgo, Nova York, Austrália e Gana.

Com mais de 4 mil empregados diretos, as operações brasileiras respondem por 15,3% da produção global de ouro do grupo e estão entre as mais avançadas do mundo no campo da tecnologia de mineração, pela excelência dos equipamentos e processos utilizados e pelo desenvolvimento de soluções de engenharia para a atividade de mineração em subsolo.